menu

Topo
Blog do Marcio Atalla

Blog do Marcio Atalla

Categorias

Histórico

Quem tem medo do glúten?

Marcio Atalla

29/03/2018 04h00

Glúten

Crédito: iStock

Este assunto pode até parecer batido, mas sempre vale a pena voltar nele. Por quê? Porque as pessoas estão convencidas de que o glúten é o grande vilão da alimentação nos dias de hoje. Sobretudo, para aquelas que querem emagrecer e acham que a culpa está só ali.

Mas, engana-se quem pensa que o glúten é um tipo de açúcar. Não! Ele é uma proteína, aliás, é na verdade a combinação de dois grupos de proteínas: a gliadina e a glutenina, que se encontram nos grãos do trigo, cevada, aveia e centeio. Diz-se por aí que sua digestão é mais lenta, e por isso provoca inchaço e acúmulo de gordura, principalmente abdominal. Sim, provoca. Mas em pessoas que têm doença celíaca. Trata-se de uma doença autoimune para quem tem predisposição genética causada pela intolerância ao glúten, que provoca lesões no intestino delgado e, consequentemente, inchaço na barriga. O problema costuma se desenvolver bem no início da vida, entre 6 meses e 2 anos de idade.

Para os demais, comemorem!! Não há nenhum estudo cientifico que comprove essa teoria. Mas já existem alguns demonstrativos de que ao excluir o glúten da alimentação, ou seja, cortar, na verdade, algumas farinhas, aumenta-se o risco de desenvolver diabetes ao longo da vida, por conta da redução no consumo de fibras. Ainda assim, tem quem ganhe com a moda do "gluten-free". O mercado de comida sem glúten já movimenta mais de US$ 10 bilhões por ano

Há quem diga que nem sempre foi assim, mas que atualmente o trigo que consumimos tem mais glúten, portanto foi modificado. Porém, se fizermos uma comparação do consumo de trigo com a obesidade, temos os seguintes dados: o consumo de trigo no Brasil é de 40 kg por pessoa, por ano. Na Dinamarca são mais de 100 kg por pessoa, por ano. As taxas de obesidade são bem discrepantes também. O Brasil é o 5º país mais obeso do mundo e a Dinamarca não está nem na lista dos Top 50!

Mas, e se, em vez de tirar o trigo, a pessoa que quer emagrecer reduzir o consumo de alimentos que são ricos em calorias e substituí-los por outros menos calóricos, e ainda colocar uma atividade física regular na rotina? O resultado não seria o mesmo? Por que não tentar?

Portanto, mais uma vez venho falar aqui do estilo de vida. E do erro que é colocar a culpa ou a solução em um ou outro alimento. A culpa é de um conjunto de coisas, de ações, de escolhas. É do estilo de vida atual, onde há pouquíssimo movimento espontâneo, muito por conta da tecnologia e de como as cidades foram projetadas, juntamente com a enorme oferta e a facilidade de encontrar comidas pouco saudáveis, o que torna nossa alimentação excessiva em quantidade e carente em qualidade.

Cada um tem que encontrar no seu dia a dia uma maneira de incorporar o movimento físico, porque ele, sim, é fundamental para uma pessoa ser saudável. Não existe alimento saudável e nem alimento proibido, o que existe é uma alimentação equilibrada de acordo com o estilo de vida.

 E, claro, passe lá no canal BemStar e confira o que você pode fazer para queimar mais calorias, isso sim!!

Até!!

Sobre o autor

Marcio Atalla é professor de educação física, com pós-graduação em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo). Depois de muitos anos como preparador físico de atletas de alto rendimento, passou a desenvolver uma série de iniciativas na mídia para incentivar a população a levar uma vida mais saudável. É autor de três livros, entre eles, “Sua Vida em Movimento” (ed. Paralela), com mais de 50 mil cópias vendidas.

Sobre o blog

Dicas simples e muito eficazes para você ajustar seu estilo de vida aos poucos, começando a se movimentar mais e a fazer melhores escolhas alimentares. Detalhe fundamental: todas baseadas em estudos, sem espaço para mitos e modismos que sempre surgem quando o assunto é saúde e bem-estar.