menu

Topo
Blog do Marcio Atalla

Blog do Marcio Atalla

Categorias

Histórico

Desafio do Atalla: poucas mudanças já transformam seu corpo; Veja relatos

Marcio Atalla

27/12/2018 04h00

Crédito: iStock

Na minha última coluna aqui, propus alguns "incrementos" que colocariam mais movimento em nossos dias, para que nosso desafio desse resultados ainda mais significativos. Certamente, muitas pessoas não conseguiriam fazer o que eu escrevi, mas a ideia é que cada um ache dentro de suas possibilidades, dentro do seu dia, outras formas de inserir movimento, que sim, podem passar a ser natural depois de um tempo.

Posso contar alguns casos que comprovam isso, mas o ideal seria que cada um pudesse perceber -com sua própria vivencia- que qualquer tipo de movimento adicional no dia a dia resulta sim em mudanças na saúde, na forma física, na disposição. O corpo reconhece movimento, sendo ele feito dentro da academia, de casa, no trabalho, na rua, seja correndo de um cachorro ou correndo na esteira.

Tenho casos que vão provar isso e você ficará chocado. Quando fiz o Medida Certa – Condomínio, uma das participantes se levantava cada hora trabalhada e caminhava por cerca de três a cinco minutos dentro do escritório. Voltava à sua mesa e seguia trabalhando. Ao final de três meses ela havia perdido sete centímetros de circunferência abdominal e oito quilos.

Um grande amigo, que gostava muito de me zoar e dizer que o estilo de vida bem-estar era balela, e que o melhor eram jantares, festas, bebidas e cigarros, um dia me desafiou. Ele disse que duvidava que apenas subir as escadas do trabalho poderia resultar em alguma mudança, mas que faria para testar -provavelmente por querer mostrar que eu estava errado. Mas a atividade deu certo e com os resultados que teve após o primeiro mês ele se empolgou e continuou por mais dois meses, incluindo ainda caminhadas no fim de semana. Hoje, três anos depois, não só aboliu elevadores e escadas rolantes, como também passou a correr, abandonou os remédios de pressão e deixou pelo caminho 17 quilos. Pegou gosto ela atividade física de forma natural e mudou o estilo de vida totalmente, sem deixar de ter seus momentos de lazer, seus jantares, seus vinhos, etc. Mas o  cigarro ele largou de vez!!

Há pessoas que não sedentárias e que conseguem incrementar mais movimento no dia, e conseguir ter ainda mais saúde, melhorar a forma física e a disposição. Vou dar um exemplo de um estudo feito com ciclistas profissionais. Imagina você, que esses caras pedalam cerca de 300 quilômetros por dia, durante cerca de 300 dias no ano. Passam cerca de quatro a cinco horas em cima de uma bike durante as provas de grand tour, que duram 21 dias. Passam mais tempo na bike que em qualquer outro lugar. Você pensa que não há mais nada que eles possam fazer, porque já são muitíssimo ativos, aliás, já até passaram do ponto (porque atletas de alto rendimento levam realmente o corpo ao limite). Mas, eles decidem testar fazer três series de burpee (exercício conjugado de salto com flexão de braço) por dia, só mais esse detalhe… Assim descobriram que ainda podiam ter uma melhora de performance significativa!

O que eu quero dizer é que aquele pouco a mais, que parece inofensivo, pode sim trazer resultados mesmo para pessoas altamente treinadas.

Minha ideia não é que você faça polichinelo no meio do ônibus, eu não conheço sua rotina e não sei como você vive. Mas se você trabalha em casa, sim, polichinelos são possíveis. Ou apenas dar alguns saltinhos, pulinhos, dançar uma musica… Mas, se você passa duas horas no ônibus, então opte por fique de pé, pronto, já é uma atitude que mudaria seu gasto calórico, além de melhorar respostas das ações orgânicas que acontecem durante todo o tempo, dentro de nosso corpo. Sentado você gasta, em média, cerca de uma caloria por minuto, de pé gasta duas. É o dobro. "Mas são apenas duas calorias", você vai me dizer. Sim, só duas, o que significa que ao longo de três meses você terá gasto 10.800 calorias a mais por ter ficado de pé. Ao longo de 12 meses, terão sido deixadas para trás 43.800 calorias. Se você mantiver sua alimentação exatamente igual, apenas com essa atitude você pode perder cerca de seis quilos ao final de um ano, considerando que para perder um quilo de gordura temos que fazer déficit calórico de 7.500 calorias.

Enfim, nosso desafio, ou a primeira etapa dele, acaba hoje. Eu adoraria logo mais ler alguns relatos de vocês, que realmente tentaram fazer pequenas mudanças e perceberam que esse é o grande começo. Alguém ai, pra dividir um depoimento bacana conosco???

E aproveito para desejar que no ano de 2019 você encontre seu jeito. Se minhas sugestões não são boas, tente criar a sua forma, o seu jeito de fazer, de colocar seu corpo em movimento. Você é a única pessoa que pode fazer isso por você mesmo!

Obrigado pela confiança, espero seguirmos juntos no ano novo!!

Até!!

 

 

Sobre o autor

Marcio Atalla é professor de educação física, com pós-graduação em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo). Depois de muitos anos como preparador físico de atletas de alto rendimento, passou a desenvolver uma série de iniciativas na mídia para incentivar a população a levar uma vida mais saudável. É autor de três livros, entre eles, “Sua Vida em Movimento” (ed. Paralela), com mais de 50 mil cópias vendidas.

Sobre o blog

Dicas simples e muito eficazes para você ajustar seu estilo de vida aos poucos, começando a se movimentar mais e a fazer melhores escolhas alimentares. Detalhe fundamental: todas baseadas em estudos, sem espaço para mitos e modismos que sempre surgem quando o assunto é saúde e bem-estar.