Topo
Blog do Marcio Atalla

Blog do Marcio Atalla

Categorias

Histórico

Não precisa ter medo da comida, é possível emagrecer consumindo de tudo

Marcio Atalla

12/09/2019 04h00

Crédito: iStock

Como acontece todo fim de semana, eu saio para jantar com um grupo de amigos. No último sábado, um assunto veio à tona: o medo que muitas pessoas tem da comida, em especial do carboidrato…

Vou resumir o que aconteceu. Há três meses, esse mesmo grupo estava jantando e um deles disse que estava sentindo dores no joelho para correr. Eu disse que ele estava pesado para correr, e estava sobrecarregando as articulações. Ele não gostou muito do que eu disse, mas se sentiu desafiado a descer de 29% de gordura (era seu percentual) para uns 20, 18. Na mesma mesa, uma das mulheres disse, que apesar de para mulher ser mais difícil emagrecer, ela também iria entrar na onda, porque estava precisando perder uns quilos, e em 3 meses iríamos voltar a conversar sobre isso.

Semana passada foi quando completaram os 3 meses. Nosso amigo do joelho ruim, conseguiu perder 11 quilos e desceu para 20% seu percentual de gordura, e o joelho parou de reclamar nas corridas. Nossa amiga teve uma perda de peso discreta.

Não era uma competição, mas durante o jantar algo me chamou a atenção. A maneira como ambos comiam, se relacionavam com a comida e o prazer que tinham em comer. Ela pediu um bife com salada e uma pitada de farofa, e meu amigo um nhoque ao sugo. Ela quase caiu da cadeira quando meu amigo pediu o nhoque ao garçom. "Como assim? Você vai comer nhoque? E à noite?" Quando nosso pratos chegaram eu percebi o tamanho do bife que vinha no prato dela, era enorme. Uma salada com molho e um pouco de farofa. "Arroz branco, nem pensar", ensinava ela.

Após terminarmos de comer eu disse pra ela. "Sabe, o prato do nosso amigo devia ter umas 300 calorias, enquanto que só o seu bife devia ter umas 500 calorias… E sabe por que? 50% dele era de gordura, e a gordura é o nutriente que fornece mais calorias. Quando você olha um bife, você pensa que ali tem apenas proteína, mas não! Tem bastante gordura também. Quando você olha pro meu nhoque você uma grande quantidade de massa, mas ali tem muito pouca gordura, logo a quantidade de calorias não é tão alta. Afinal, a gordura fornece mais que o dobro de calorias que a proteína e o carboidrato: 9 calorias contra 4.

Mas, a questão também não era essa… Nem competição entre os dois, nem calorias pra lá e pra cá. Mas, sim o prazer de comer… Onde ele foi parar? Atrás do medo, provavelmente. As pessoas nem pensam no que querem, no que tem vontade de comer, apenas pedem o peixe, o frango ou o bife com salada. E a vontade de outras coisas fica ali, rondando a mente, aumentando a produção de saliva.

E finalmente, chega à mesa meu pudim de leite. E minha amiga me repreende: "Você só come carboidrato! Como você não está enorme de gordo, eu não sei". Eu sei. Primeiro, o que engorda não é O carboidrato, nem A proteína, nem O arroz, nem O queijo, nem A cerveja, mas o balanço de tudo que se come e tudo que se gasta em atividades físicas e biológicas de nosso corpo. E segundo, analisemos o pudim de leite: em sua receita consta ovos, leite, leite condensado, açúcar e água. Ovos e leite são basicamente fonte de proteínas e gorduras. Leite condensado tem gorduras, proteína e carboidratos, e açúcar apenas carboidrato. Em suas quantidades, fica bem equilibrado com todos os nutrientes, logo não é só porque é sobremesa que é carboidrato. Não é só porque é doce, que é carboidrato. Não é só porque tem cara de coisa que vai engordar, que é carboidrato. Frutas e legumes são basicamente fonte de que? De carboidrato. Ali não há nem proteína, nem gordura, (exceto algumas frutas, como açaí e abacate), e em todas as dietas elas estão presentes!

Então, eis que surge o assunto do bolo de laranja feito com farinha da castanha e açúcar mascavo. E minha amiga, invencível diz: "Esse pode comer à vontade que é super saudável". Sim, bacana. Escolherem ingredientes mais saudáveis, mais caros, e fica legal, uma proposta diferente. Mas, a quantidade de calorias não vai ser tão diferente de um bolo de laranja comum. E não se pode comer à vontade. Devemos comer de tudo, mas nunca à vontade! Aí que está o segredo!

No final, nosso amigo do ex-joelho ruim contou que não deixou de comer nada, que não teve e nem tem medo de comer, e que passa a maior parte do dia em movimento no trabalho, faz sua corridas e seu pilates, que gosta mesmo é de gastar calorias, colocar pra fora! Nossa amiga, mantem sua aula com personal 3 vezes na semana, sem sair muito da zona de conforto. Com isso se considera uma pessoa ativa e passa o restante do tempo sem gastar muita energia em suas atividades, e na hora de comer decide se privar de tudo, porque sabe que na verdade a balança do entra e sai não está equilibrada. E o pior, a vontade de comer "aquelas" coisas, não passa….

E para quem ainda não sabe o que fazer para gostar de malhar, confira aqui neste vídeo.

Até!

 

Sobre o autor

Marcio Atalla é professor de educação física, com pós-graduação em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo). Depois de muitos anos como preparador físico de atletas de alto rendimento, passou a desenvolver uma série de iniciativas na mídia para incentivar a população a levar uma vida mais saudável. É autor de três livros, entre eles, “Sua Vida em Movimento” (ed. Paralela), com mais de 50 mil cópias vendidas.

Sobre o blog

Dicas simples e muito eficazes para você ajustar seu estilo de vida aos poucos, começando a se movimentar mais e a fazer melhores escolhas alimentares. Detalhe fundamental: todas baseadas em estudos, sem espaço para mitos e modismos que sempre surgem quando o assunto é saúde e bem-estar.